Somos liberais, progressistas e, acima de tudo, antipopulismo e autoritarismo.

É bem possível que essa seja a primeira vez que você esteja vendo neoliberalismo não sendo usado de forma pejorativa.

Neoliberalismo é um excelente bode expiatório. Para a esquerda, os neoliberais estão matando os pobres com suas ideias.

Para a direita cada vez mais nacionalista, os neoliberais globalistas são uma elite política que controla tudo secretamente.

Mas quem somos nós afinal?

Somos os Neoliberais do Brasil. Fazemos parte da rede internacional de Neoliberais - The Neoliberal Project.

O projeto começou despretensiosamente quando alguns alunos de graduação em economia se juntaram para discutir as implicações políticas de sua área de estudo e criaram no reddit o r/neoliberalNas palavras de Colin Mortimer:

Não nomeamos assim o fórum para fazer uma declaração política, mas porque queríamos zombar das pessoas que antes nos chamavam dessa palavra. Mas, rapidamente, as pessoas começaram a participar numa proporção muito maior do que esperávamos. Pessoas que não desejavam discutir econometria, como pretendíamos originalmente. Elas desejavam um lugar on-line para discutir a formulação de políticas que não tivesse sido capturado por populistas de esquerda ou direita. Éramos incrementalistas radicais - como nos chamávamos - e isso era diferente de qualquer outra coisa por aí.

Nossos valores. O que defendemos e o que queremos?

Defendemos a economia de mercado, as instituições multilaterais (por isso nos denominamos "globalistas"), a democracia e a livre manifestação da vontade humana (por isso nos consideramos progressistas).

O Projeto Neoliberal é uma grande casa. Não procuramos excluir outras pessoas de nossa comunidade; em vez disso, procuramos trazer qualquer pessoa que possa encontrar um terreno comum conosco em qualquer assunto. Isso irá expandir muito o número potencial de pessoas que podem se chamar de neoliberais e assim nos diferenciamos de outros grupos que impõem testes estritos de identidade a seus membros.

Isso não significa, contudo, que não tenhamos princípios claros:

• Livre mercado: o livre mercado é o melhor e mais democrático sistema de criação e distribuição de recursos para indivíduos e organizações.

• Uma rede de segurança social robusta: embora o livre mercado seja o maior motor de criação de riqueza da história, eles precisam ser criados e regulamentados por sistemas e instituições jurídicas inclusivas de modo a distribuir equitativamente a riqueza que criam.

• Sociedade aberta: a menos que todos tenham oportunidades iguais de acesso aos mercados, eles não irão operar de modo ideal. Nosso projeto visa combater a opressão aos setores marginalizados da sociedade, independentemente de sexo, identidade de gênero, raça, cor, nacionalidade ou status de imigração, religião ou não-religião, orientação sexual, deficiência, estado civil, peso ou idade.

• Derrotar populistas e autoriários: A motivação para o ativismo se deu em resposta direta ao aumento de populistas à esquerda e à direita em todo o mundo. Nos opomos diretamente aos grupos mais extremistas e ao crescente "flerte" destes grupos com ideias autoritárias e antidemocráticas. Também nos opomos às fakenews, a manipulação e a crescente polarização via redes sociais. Temos compromisso inegociável com a democracia liberal.

O Projeto Neoliberal é acima de tudo ação. Nosso propósito está em trazer o sucesso do projeto original na elaboração de propostas políticas, mobilização de nossa rede para apoiar essas propostas, análise das propostas de políticas de outros e a construção de relacionamentos com indivíduos e grupos com ideias semelhantes e demais atores políticos.

Quer fazer parte desta rede? Então participe!

Agora, convidamos você a deixar os espantalhos de lado e a mergulhar nos textos a seguir. Talvez você se surpreenda em saber que sim, você também é um neoliberal.

Eu sou um neoliberal. Talvez você também seja.

“Neoliberal” é um termo usado e abusado por algumas pessoas para atacar os fãs do livre mercado. Geralmente é mal definido e as tentativas de outras pessoas para defini-lo acabaram por serem confusas ou gerar confusão. A definição de Ben é a melhor que eu já li, porque descreve um grupo que é distinto dos […]

A confusão Neoliberal

O conceito é o alicerce de qualquer forma de abstração da realidade. Uma ideia mal conceituada é problemática, pois não sendo bem delimitada, pode ser atribuída à tudo, quando explica nada. O conceito de Neoliberalismo — devido a sua imprecisão — partilha substancialmente desta confusão.

Este mal-entendido pode ser facilmente esclarecido através da contraposição das diferentes formas de interpretação e fundamentação do conceito; ora buscado em sua origem — sendo vago, devido ao seu abandono pelos liberais — , ora analisado sob uma pretensão crítica — denotando um aspecto quase sempre pejorativo.

Quando em contraste, as diferentes perspectivas se diferenciam, tornando possível proceder com uma linha investigativa, cujo resultado proporciona o entendimento de cada abordagem de maneira isolada.

Ver o mundo por olhos neoliberais

Palestrei na Universidade de Brighton como parte de uma série de seminários sobre o neoliberalismo. O termo "neoliberal" é normalmente utilizado num sentido depreciativo, embora eu tenha optado por não o utilizar dessa forma. Fui o único orador da série a falar a favor das ideias neoliberais, e o meu título era “Ver o mundo por olhos […]

Resenha do livro "Neoliberalismo: História e Implicações"

Traduzimos a resenha do livro de David Harvey “Neoliberalismo: História e Implicações” (Título original do livro é: A Brief History Of Neoliberalism) feita por Scott Alexander autor do antigo blog Slate Star Codex (atualmente Astral Codex).

Nós apoiamos o Impeachment de Bolsonaro. Pela incompetência, pelo despreso pela vida humana. Fora Bolsonaro!

Últimos posts

Putin teme uma Rússia liberal

A Rússia invadiu a Ucrânia. Ancorada em um cinismo assustador, diz que seus soldados entraram em um Estado independente a fim de garantir a paz, sem ter sido convidado pelo dono da casa. O presidente Vladimir Putin, na verdade, repete a velha prática russa de mentir, enganar, fingir demência para então alcançar seus objetivos. Pura […]

Defendam a ciência! O comunismo foi sim fome e repressão

"Socialism is not based merely on a different system of ultimate values from that of liberalism, which one would have to respect even if one disagreed; it is based on an intellectual error which makes its adherents blind to its consequences.” - Friedrich Hayek No final de janeiro de 2022, os habitantes da bolha cyberbolchevista […]

"Retrato do Brasil", de Paulo Prado, nos provoca a debater nossa realidade cultural

O modernismo brasileiro está completando 100 anos. A Semana de Arte Moderna de 1922, marco paradigmático da modernização artística do país, completa seu centenário resgatando o debate de obras importantes que interferiram na vida cultural e política do país. O “Manifesto antropófago” de Oswald de Andrade propõe uma antropofagia metafórica nas artes, a exemplo dos […]

Olavo de Carvalho e o anátema do globalismo

"A figura mitológica de uma hidra com várias cabeças (3 ou mesmo 7) está no imaginário popular desde os tempos das mitologias grega e romana. Em versões posteriores, o monstro, a cada cabeça cortada, crescia outra no lugar. Para os fãs das teorias da conspiração, é uma imagem perfeita para representar poderes invencíveis. Abordaremos um […]

Agatha e Moise. Congo, Bósnia e Brasil.

O assassinato de Moïse Kabamgabe amarrado e morto em um quiosque na Barra da Tijuca, após cobrar os salários atrasados, não é novidade para quem conhece a realidade brasileira, sobretudo as “leis não escritas” de certas áreas urbanas e rurais brasileiras. O caso passaria desapercebido, como mais um dentre tantos outros de barbárie explícita do […]

Liberalismo político e o caráter universal da democracia

Por ocasião do sexagésimo aniversário da Revolução Russa, Enrico Berlinguer, então secretário do Partido Comunista Italiano (PCI), propôs uma reflexão que ganharia repercussões históricas. Em suas palavras: “A experiência realizada nos levou à conclusão — assim como aconteceu com outros partidos comunistas da Europa capitalista — de que a democracia é hoje não apenas o […]

Corrida cancelada: crise nos aplicativos de transporte revela a complexidade do problema urbano

Nos últimos meses, tem sido notado por parte de usuários e motoristas uma perda significativa na qualidade de aplicativos de transporte, como a Uber e 99. Dificuldade para encontrar motoristas, cancelamentos de corridas e ocorrências relacionadas a um atendimento ruim são algumas das principais reclamações de usuários. Nesse mesmo período, uma quantidade considerável de passageiros tem migrado dos aplicativos de transporte para os táxis, que foram o primeiro alvo da concorrência dos apps, e que hoje veem sua base de clientes crescer significativamente.

Serviços de carros compartilhados como Uber e 99 são inovações que foram muito celebradas, e alvo de defesa apaixonada por alguns grupos ideológicos, mas que no entanto, se mostraram eficientes apenas para nichos específicos. Dizer que apenas um modelo de negócio é o suficiente para fornecer transporte para uma cidade de milhões de pessoas, com perfis de deslocamentos completamente diferentes, é claramente um equívoco.

Nós precisamos de uma nova filosofia do progresso

Vivemos em uma época que perdeu o otimismo. As pesquisas mostram que as pessoas acham que o mundo está piorando, não melhorando.

As crianças temem morrer por causa de uma catástrofe ambiental antes de chegarem à velhice. É provável que os tecnólogos sejam informados de que estão arruinando a sociedade tanto quanto a estão melhorando.

Mas não foi sempre assim. Apenas alguns séculos atrás, os pensadores ocidentais foram pegos em uma onda de otimismo em relação à tecnologia, à humanidade e ao futuro, com base na nova filosofia do Iluminismo.

O Iluminismo foi muitas coisas, mas em grande parte, foi uma filosofia do progresso. O século 20 destruiu violentamente essas ilusões ingênuas. As guerras mundiais foram uma prova devastadora de que o progresso material não leva inevitavelmente ao progresso moral.

A filosofia de progresso do século 19 era ingênua. Mas o afastamento do progresso no século 20 não foi a solução. Precisamos de uma nova filosofia de progresso para o século 21.

Alfabetização industrial

Quando você conhece alguns fatos da história - que muitas escolas não ensinam - você entende o que é “civilização industrial” e por que ela é a benfeitora de todos os que têm a sorte de viver nela. Você entende que o gerador elétrico, o automóvel, a fábrica de produtos químicos, o navio porta-contêineres e o microprocessador são essenciais para nossa saúde e felicidade.

Cidades, mercadores e liberdade

Introdução Vários são os livros e textos que tratam acerca da história das cidades. Londres, Roma, Nova York, Paris, Rio de Janeiro, Chicago, etc. A longa e complexa evolução desses centros urbanos é ricamente explorada por vários autores de diferentes épocas. Histórias de como essas cidades foram erguidas e destruídas, de como enriqueceram ou foram […]

Estudos do progresso como um imperativo moral

Tyler Cowen e Patrick Collison publicaram recentemente um artigo no The Atlantic pedindo uma nova disciplina de “estudos do progresso”. Recebeu uma resposta entusiástica de muitas pessoas e galvanizou um pequeno movimento, que agora tem um grupo no Slack e na última quarta-feira realizou seu primeiro encontro (hospedado no Founders Fund). Eu fui o palestrante e dei uma palestra sobre a história do aço (gravação em breve). Concluí com algumas reflexões sobre os estudos do progresso, por que é crucialmente importante, o que estou fazendo a respeito e como você pode ajudar.

Por um anticapitalismo de livre mercado

Texto de Matt Ridley para o site CapX. Leia o original aqui. . Daniel Yergin e Joseph Stanislaw, em seu livro de 1998, "Commanding Heights", disseram sobre o que Keith Joseph estava pensando após a queda do governo de Heath em 1974: “A fonte do problema era o consenso do pós-guerra, com sua promoção do […]

Afiliado ao The Neoliberal Project

Procure no site: