Procure no site:

julho 15, 2021

Resenha do livro “Why Not Capitalism?", de Jason Brennan

Ao nos depararmos com o título da obra (“Why Not Capitalism?"), de cara somos apresentados a uma pergunta um tanto estranha, provocativa, mas curiosa. Afinal já tivemos esse debate no século XX - sobre "socialismo vs capitalismo" - e já sabemos o vencedor. Mas apesar da vitória, parece que defendemos o capitalismo à la Churchill, isto é, uma defesa "do menos pior", sem entusiasmo, apenas por ser o melhor sistema que testamos até agora, a espera de um próximo.

Seria o ideal capitalista algo digno e inspirador? Um sistema moralmente superior, que nos levaria a levantar barricadas em sua defesa? Jason Brennan nos conduz a uma solução em sua brilhante obra em forma de resposta ao livro, tão instigante quanto, “Why Not Socialism?” do filósofo socialista G. A. Cohen.

Para entender a obra de Brennan é preciso entender a obra de Cohen e para entender essa é preciso compreender o seguinte experimento de pensamento proposto pelo filósofo socialista: imagine um cenário no qual um grupo de amigos vão acampar. Nesse contexto não há hierarquia entre os membros. O objetivo comum é que todos aproveitem o tempo juntos. Há atividades que são feitas em conjunto, outras separadamente, mas em todas o espírito de comunidade prevalece. Tanto que os objetos trazidos pelos indivíduos são divididos coletivamente. Cohen visa mostrar que os princípios que norteiam o acampamento são justamente os princípios socialistas, que num cenário em que pudéssemos estender esses princípios para o todo da sociedade o faríamos sem pensar. Logo, o socialismo ocupa um patamar moral mais elevado. 

Isso decorre do fato de que se tentássemos conduzir um acampamento ao modo de uma sociedade de mercado, o espírito de comunidade dissiparia e inimizade surgiria entre nós. Segundo Cohen, isso vem do fato de que o capitalismo é movido por medo e ganância. Veja que o argumento de Cohen não depende se o socialismo é factível ou não (embora ele discorra sobre o assunto em sua pequena obra), mas o que importa aqui é que Cohen quer nos mostrar que, no fundo, somos todos socialistas. Se o socialismo é impraticável, que pena. Mas isso não torna o socialismo menos desejável. Não é que o socialismo seja ruim para nós, nós é que somos ruins para o socialismo!

Eis que vem Brennan em sua obra trazer um experimento de pensamento análogo para subverter as conclusões de Cohen. O argumento do Cohen é atrativo, porém falha pois simplesmente não se compara de igual para igual. Obviamente, um socialismo ideal, tal como o do experimento de pensamento no qual os agentes são moralmente virtuosos, é superior ao capitalismo real, com pessoas falhas recheadas de medo e ganância. Então Brennan propõe o desafio: devemos comparar o capitalismo ideal com o socialismo ideal! No decorrer da obra, o autor busca mostrar de forma engenhosa como na verdade o capitalismo ideal é que está num patamar moral mais elevado.

Mas o que seria o capitalismo ideal? Parece que o próprio termo seria um oxímoro, mas não! Brennan mostra o que se trata esse ideal, no qual mesmo num cenário de seres moralmente virtuosos ainda assim teríamos propriedade privada, mesmo não precisando. Dentre os vários motivos que o autor elenca, teríamos propriedade por uma questão de limite cognitivo, assim como pelo fato de que a partir de ferramentas próprias construímos nossas vidas. Como humanos buscamos realizar nossos projetos únicos e criamos laços sentimentais com os objetos que possuímos em nossas vidas, então faz sentido termos propriedade privada, mesmo numa utopia! 

Mas ter propriedade privada que não seja dos meios de produção é aceitável num cenário socialista - retrucariam alguns. Mas a diferença entre propriedade produtiva e não produtiva não é tão simples quanto o imaginário socialista quer fazer parecer.

Para entender mais do porquê devem existir direitos de propriedade na utopia e de como seriam os detalhes dessa utopia capitalista moralmente mais elevada que o sonho socialista, recomendo fortemente o livro “Why Not Capitalism?”, de Jason Brennan. Um belo e breve livro, que além de tratar de um ótimo exercício argumentativo para defesa da sociedade de mercado, ensina o leitor sobre o motivo pelo qual o socialismo perdeu o debate, ensinando um pouco de economia e sistema de preços, assim como mostrando inúmeros dados e alguns experimentos do porquê o capitalismo, mesmo em meio a todas as suas falhas, é um ideal a ser buscado.

Deixe seu comentário. Faça parte do debate