Procure no site:

janeiro 24, 2021

Marcos Lisboa - Melhores cortes BEC

Estamos inaugurando a série de posts com os melhores cortes da Bem Estar Capital - O podcast da Neoliberais.com, onde traremos uma seleção das melhores falas de nossos entrevistados.

E ninguém melhor para começar essa série do que o grande Marcos Lisboa, também conhecido pelo apelido de diabo loiro, esse que é um dos maiores economistas do Brasil e atual diretor-presidente do Insper não poupa palavras para descrever os erros e bobagens na política econômica de nosso país.

"Não confiem em ninguém, muito menos em mim! Desconfiem de tudo que eu falo, vão atrás da literatura, vão atrás da evidência... e não se percam nesse debate de revista caras que domina o debate público brasileiro"
"Economia eu sabia pouco, porque tinha feito UFRJ. A gente não aprendia nada de economia muito relevante. Era muito mais uma HPE velha e não muito boa"
"aumentar gasto com salário de professor tem impacto frustrante… tem uma pesquisa recente feita na indonésia com grupo aleatorizado… porém os alunos não aprenderam mais em relação ao grupo de controle … No brasil a gente sabe que aumentar salário de professor tem impacto até certo nível, depois disso para de ter impacto… para cada afirmação dessas tem uma pesquisa realizada de fundo… vamos discutir o resultado ao invés de fazer uma controvérsia sobre palpites"
"É engraçado que no Brasil a gente ensina filosofia, a gente passa por Platão, Aristoteles, pré socráticos….. Thomas de Aquino que é um grande…. chega em Decartes, em Kant… mas em geral a gente pula a Escócia, que é onde fez a filosofia talvez mais impactante durante muito tempo, o iluminismo escocês na segunda metade do século XVIII com David Hume, não atoa era amigo do Adam Smith né, que é o Pragmatismo"
"O Brasil não é um país pobre atoa, a gente faz muito esforço para permanecer pobre"
"É melhor ficar numa renda mínima e ai alguma variação do bolsa família... tem muito programa social no brasil mal desenhado e focalizado... na época que o bolsa família foi desenhado a ideia era unificar algumas dezenas de programas sociais e concentrar nas famílias de menor renda... teve muita oposição ao bolsa família na época, muita gente foi contra, curiosamente muita gente à esquerda foi contra"
"Até a Austrália entrou nessa, progressivamente os países foram abandonando... hoje pouca gente usa e quando usa é uma alíquota muito baixa... o único país que tem uma alíquota relevante de CPMF é a Venezuela, não me parece que é um bom exemplo, né?!"
Pós 2008 foi uma situação inesperada, você estava com uma situação de recessão com deflação dos países ricos e as taxas de juros 0 ou perto de 0. Então você não tinha mais aquele instrumento da política de curto prazo que era a monetária.
Então muita gente querendo entender como é que você faz nesses casos. Teve alternativas que acabaram sendo feitas pelo FED e outros bancos centrais. E teve um pouco essa discussão: Será que nesse caso, é uma conjectura, é possível haver uma relação inversa entre taxa de juros e nível de preços? A gente sabe que sim!
Mas não tem nada de novo ai, tem um velho teorema dos anos 70 que é conhecido na literatura... que essencialmente com condições muito pouco restritivas, qualquer estrutura de vetor de excesso de demanda, estático ou dinâmica, é o equilíbrio de alguma economia de mercado.
"Anos 80, quero desenvolver a indústria de informática no Brasil... o governo quer liderar e garantir que o país esteja nessa nova onda de desenvolvimento econômico que se dará com base na indústria de informática.
Então nós fizemos uma lei de informática para proteger e estimular o desenvolvimento de hardwares no Brasil... tinha empresas estatais de computadores... FOI UM FRACASSO MONUMENTAL... os computadores ficaram defasados em relação ao resto do mundo, prejudicou o desenvolvimento.... e para combinar a má noticia... a revolução não veio pelo hardware, veio pelos softwares... e o Brasil ficou para trás.
Quando o Brasil chegou no fim dos anos 80: Olha fizemos uma aposta errada! Deu errado, não desenvolveu indústria local, lá fora as tecnologias são muito mais eficientes... e o país pagando um preço caro por estar amarrado com tecnologias velhas, defasadas que tornavam o país mais pobre"

"Como é que a gente avalia se ele ou ela desenvolveu a competência necessária. Para isso precisa de muita gestão, tem trilhas, tem grupos de professores, redesenho contínuo dos programas, avaliação de aprendizado. Tem uma área independente da escola para medir o desenvolvimento dos alunos e reportando diretamente a mim. Como é feito na boa academia americana? Você tem comitês externos e internos para avaliar a qualidade da pesquisa dos professores... as promoções para o último nível de carreira são feita sempre por comitês externos de avaliação... A governança é fundamental, você ter mecanismos externos de avaliação é fundamental para evitar o autoengano, para evitar o corporativismo, para evitar os velhos problemas de muitas instituições do Brasil, que infelizmente acontece "
"Pão doce, é pão ou é doce?". Nesse vídeo Lisboa comenta sobre algumas complexidades de nosso sistema tributário fazendo algumas provocações enquanto faz uma defesa do IVA.
Consenso? é, o consenso não quer dizer muita coisa. Todo o esforço desse rigor no método das ciências é tentar se livrar de seus preconceitos, a ciência não é neutra.
"tinha uma corrente liberal muito pequena e essas varias correntes desenvolvimentistas, com pequenas variações entre elas"
infelizmente o brasil ficou fora desse debate, enquanto o mundo se moveu para esse caminho, mais baseado em evidências, com maior detalhamento das propostas, com maior ajuste fino dos instrumentos, a serem utilizados, no Brasil o debate continou e continua até hoje dominado essencialmente por essas visões de mundo, onde você encaixa as pessoas em caixinhas.... você é liberal, você e desenvolvimentista... e nós não conseguimos levar a um debate mais sofisticado, mais cuidadoso.

Deixe seu comentário. Faça parte do debate